Associados da Apil fazem treinamento do PAS Leite Campo em Sarandi  

27 jun Associados da Apil fazem treinamento do PAS Leite Campo em Sarandi  

Treinamento do PAS Leite

IGL oferece treinamento dp PAS Leite para associados da Apil

Técnicos de dezenove laticínios gaúchos participam, de segunda-feira (27) até sexta-feira (1º), do curso de boas práticas agropecuárias do PAS Leite Campo, em Sarandi. A atividade, feita para os associados da Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (APIL) e organizada pelo Instituto Gaúcho do Leite (IGL) e Senai/RS, pretende dar suporte para a implantação de projetos no Programa Leite Saudável, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A formação PAS Leite Campo é financiada pelo IGL, com recursos do Fundoleite.

O curso foi solicitado pelos técnicos do Mapa que, ao analisar os projetos dos laticínios que pleiteiam o uso de créditos presumidos do PIS/Cofins no Programa Leite Saudável no Rio Grande do Sul, avaliaram que os mesmos careciam de metodologia para provar se o recurso seria utilizado no campo. “O Mapa entendeu que a metodologia do PAS Leite seria melhor para refazer os projetos e utilizar os parâmetros da metodologia como indicadores”, explica a analista de Serviços Técnicos e Tecnológicos do Senai, Martha Brandão.

Para o fiscal federal agropecuário do MAPA, Roberto Lucena, a adesão desses técnicos ao PAS Leite Campo será benéfica. “Com essa qualificação, com uma metodologia adequada de assistência técnica, o reflexo nos projeto inscritos no programa Leite saudável será visível. Atualmente são 37 projetos, que beneficiarão 16 mil produtores, e com as adequações e conhecimentos deses técnicos, poderão ser aprimorados e implantados de forma benéfica a cadeia produtiva do leite”, explica.

Foco no alimento seguro

Segundo Martha, os técnicos das queijarias é que farão a implantação da metodologia PAS Leite nos laticínios. O foco é no alimento seguro: garantir a matéria-prima de qualidade do produtor. “A gente entende que nenhum processo fora da porteira da fazenda faz o leite melhorar. Por isso, a grande diferença é educar o produtor. Ele vai para a sala de aula e depois recebe a visita do técnico na propriedade por quatro horas. O produtor se sente assistido”, declara a instrutora do Senai.

As áreas do programa de formação do PAS Leite Campo abrangem a qualidade da água, manejo nutricional, manejo sanitário do rebanho, manejo da ordenha, a higiene do ordenhador, a qualidade e a higiene das instalações, o controle de praga, entre outros.
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.