IGL custeia cursos de boas práticas a transportadores de leite no RS

03 set IGL custeia cursos de boas práticas a transportadores de leite no RS

fiscalização2O Instituto Gaúcho do Leite (IGL) assina convênio nesta quinta-feira (3) com o Ministério da Agricultura (Mapa) e o Senai, via PAS Leite-Transporte, para realizar o treinamento de motoristas e de técnicos de coleta. O IGL vai destinar recursos do Fundoleite, num total de R$ 50.200. Já o Senai ficará responsável por formá-los e o Mapa por fiscalizar a atuação. A partir da primeira turma, por uma ideia dada pelo IGL, os motoristas e técnicos de coleta receberão uma carteira, válida por um ano, que chancelará a sua formação em boas práticas, seguindo normas da Instrução Normativa 62.  O foco, de acordo com o diretor executivo do IGL, Ardêmio Heineck, é a segurança do alimento. O objetivo da parceria, que será formalizada durante a Expointer, no estande da Embrapa, às 10h30min, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, é formar 500 profissionais ainda em 2015.  O Instituto ainda formalizará com esses parceiros o financiamento, no valor de R$ 30 mil, do curso para técnicos multiplicadores com foco nas normas do Sistema de Inspeção Municial (SIM). Serão formadas duas turmas de 30 alunos.

No evento, também será feita a  entrega da declaração de treinamento para empresas que capacitaram 100% dos seus transportadores pela metodologia do PAS Leite-Transporte. A formação, que teve início em agosto de 2014,  beneficiou 26 empresas e 1022 profissionais, dos quais 90% transportadores e 10% técnicos de coleta.

Na avaliação do presidente do IGL, Gilberto Antonio Piccinini, é papel da entidade, como fomentadora e articuladora da cadeia produtiva do leite, contribuir com a visão estratégica de desenvolvimento e qualidade do leite. Na Cosuel, que Piccinini também preside, já foram capacitados 140 motoristas. “Os resultados são sensíveis, pois o pessoal passa a trabalhar dentro das práticas e padrões. O transporte não deve comprometer a qualidade do produto que é retirado da propriedade. Se o transporte é feito com atraso, os equipamentos não estão em dia, compromete-se a qualidade do leite que chega na indústria.”

Segundo o coordenador de educação e tecnologia do Senai, Leonir Martello, a iniciativa de treinar transportadores de leite é inédita no país e mostra que a cadeia produtiva do leite está engajada para melhorar a qualidade do leite. “Pelo aproveitamento dos transportadores, tenho certeza que saíram conscientizados do curso. Para a cadeia é fundamental. Elo que parecia sem controle.

No próximo curso, segundo a analista técnica do Senai, Martha Domingues Corrêa Brandão.  haverá mudanças. Quinze motoristas treinados sugeriram por e-mail incluir os auxiliares de coleta no treinamento, desde que tenham vínculo empregatício com as empresas transportadoras ou cooperativas. “Eles são os principais agentes a serem treinados”, avalia Martha.

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.