IGL e PGQP acertam elaboração de plano estratégico de 10 anos

07 jan IGL e PGQP acertam elaboração de plano estratégico de 10 anos

IGL e PGQPO Instituto Gaúcho do Leite (IGL) e o Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP) acertaram para março a realização de um seminário para trabalhar políticas públicas e privadas para a cadeia do leite do Rio Grande do Sul, a partir dos dados do levantamento socioeconômico feito em 2015, em parceria com a Emater. O evento servirá também de base para a elaboração de um plano estratégico da entidade, com início programado para maio. A reunião, que ocorreu em Porto Alegre, serviu para alinhar o que envolverá o termo de cooperação entre as entidades, cuja minuta o secretário executivo da entidade, Luiz Pierry, vai enviar até esta sexta-feira (8) para ser analisada pelo departamento jurídico do IGL.

O IGL encomendou ao PGQP a produção do seminário, que contará com a participação de 100 formadores de opinião da cadeia leiteira, e do plano estratégico da entidade, que será produzido em um horizonte de 10 anos. De acordo com o diretor executivo do IGL, Ardêmio Heineck, o objetivo do IGL com esse trabalho é estabelecer, a partir de um planejamento de gestão de longo prazo, políticas públicas e privadas da cadeia leiteira gaúcha, para otimizar a sua organização e seu desenvolvimento. Pierry explica que o PGQP possui planos para baixa, média e alta complexidade. O planejamento do Instituto, segundo ele, é do tipo que deve ser customizado, e por isso vai exigir a participação de especialistas, considerando a complexidade e a importância da cadeia produtiva do leite, assim como o manancial de oportunidades que oferece.

De acordo com o consultor do PGQP, Marcelo Vernet de Beltrand, a ideia é que o seminário ocorra num formato de discussão em mesas-redondas temáticas, com a participação de um grupo de cerca de 10 pessoas em cada, apoiadas com a participação de um moderador. “São diálogos que chamamos de qualitativos, onde o segredo para o seu sucesso são as perguntas que se faz e, com certeza, a contribuição de cada participante”, explica Beltrand. Para um segundo momento, o trabalho do PGQP ao IGL terá desdobramentos no aspecto da governança corporativa, que diz respeito às relações com governo, associados, empresas e stakeholders.

Segundo Pierry, das 500 maiores empresas do Rio Grande do Sul, 430 desenvolvem projetos com o PGQP atualmente.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.