IGL participará de audiências públicas em defesa da pesquisa agropecuária estadual

25 abr IGL participará de audiências públicas em defesa da pesquisa agropecuária estadual

foto audiência pública

Crédito: Gabinete da deputada Zilá Breitenback

O Instituto Gaúcho do Leite (IGL) fará, a partir desta segunda-feira (25), parte do grupo de instituições integrantes das audiências públicas promovidas pela deputada estadual Zilá Breitenback no interior do Rio Grande do Sul para discutir a importância da pesquisa agropecuária. Zilá justifica o ingresso do IGL em função da importância do leite na economia do Estado. “A atividade está presente em todos os municípios.” Participam já a Emater, Embrapa, Fepagro, Unijuí, Uergs, entre outras. Hoje, a audiência pública ocorreu no município de Três Passos, na Unijuí, contando com 100 participantes da Região Celeiro, entre técnicos, pesquisadores, prefeitos e produtores.

O diretor executivo do IGL, Ardêmio Heineck, palestrou sobre a Inovação na organização e estruturação da cadeia produtiva do leite gaúcho. Ele apresentou dados sobre produção do leite oriundos do Levantamento Socioeconômico da Cadeia Produtiva do Leite. O executivo do IGL também trouxe à tona projetos de pesquisa estaduais nos quais a entidade já aportou ou está em vias de injetar recursos. Caso do Siga Leite, cuja proposta é construir um sistema de produção de leite baseado na produção de forrageiras, utilizando a metodologia de curvas de crescimento da qualidade. A essência do manejo da pastagem é atingir um balanço harmônico entre os três principais estádios de produção: o crescimento da pastagem, o consumo da forragem pelos animais e a produção animal resultante.

Chamou a atenção de Zilá o risco que milhares de produtores que produzem abaixo de 100 litros tem de saírem da atividade. “Para isso, temos que reforçar o papel da pesquisa agropecuária.” Segundo a deputada, o objetivo das audiências com temática na pesquisa agropecuária, a de hoje na sexta edição – é fazer chegar a diversas regiões o tipo de pesquisa que se está fazendo e propiciar sinergias. Como a que surgiu hoje entre a Fepagro e o IGL. “A Fepagro tem diversas pesuquisas na área da genética e saneamento de tuberculose e brucelose. Junto ao importante trabalho do Fundesa, pode nos credenciar a ser pioneiro no controle dessas zoonoses”, pondera Ardêmio. Uma reunião está marcada entre as duas entidades para a semana que vem.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.