Institutos setoriais fazem aproximação e buscam fortalecimento na AL

08 jun Institutos setoriais fazem aproximação e buscam fortalecimento na AL

Representantes dos fundos setoriais fazem visita à presidente da Assembleia Legislativa do RS

Gilberto Piccinini, presidente do IGL, e diretor de relações institucionais do Ibravin, Carlos Raimundo Paviani, apresentam institutos setoriais para a presidente da AL, Silvana Covatti

Objetivo é buscar união das cadeias produtivas do leite, uva/vinho e erva-mate

Os institutos que representam as cadeias produtivas da uva e vinho, leite e derivados e erva-mate estão em processo de aproximação para fortalecerem as suas posições no Estado. Nesta quarta-feira (8), representantes do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Instituto Gaúcho do Leite (IGL) e Instituto Brasileiro da Erva-Mate (Ibramate) estiveram com a presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, Silvana Covatti, para mostrar os benefícios gerados por esses modelos de desenvolvimento no Estado. O objetivo dos institutos, que são os executores de parte das políticas de fortalecimento dessas cadeias produtivas e têm em comum um fundo que os mantêm, é estreitar relações e identificar pontos de convergência. “Queremos mostrar à comunidade gaúcha que essa política criada no Rio Grande do Sul permite arrecadar recursos para aplicá-los no desenvolvimento das cadeias produtivas”, explica o diretor de Relações Institucionais do Ibravin, Carlos Raimundo Paviani.

Institutos apresentam de produtos na AL

A primeira ação conjunta dos fundos deve ocorrer em agosto, na Assembleia Legislativa. Segundo o presidente do IGL, Gilberto Piccinini, a intenção é, em local apropriado na AL, montar, durante uma semana, estandes com os produtos vitivinícolas, lácteos e à base de erva-mate para obter visibilidade. Também a intenção é esclarecer à população sobre o que fazem esses institutos e os benefícios que vêm trazendo à sociedade. Silvana colocou o parlamento gaúcho inteiramente à disposição. “É só vocês mandarem um ofício que vamos realizar. Podem contar conosco, inclusive para encaminhamento de pautas na casa”, disse a presidente da AL.

Contribuição social e econômica consistente

A contribuição desses modelos de desenvolvimento é consistente. No caso do Ibravin, nos últimos 10 anos ocorreu um fortalecimento da cadeia, com o crescimento da venda de produtos vitivinícolas de maior valor agregado, principalmente sucos e espumantes. “A produção de suco de uva cresceu de 10 milhões de litros para 100 milhões de litros”, informa Paviani. Já o IGL produziu em seu primeiro ano um amplo levantamento socioeconômico em parceria com a Emater, realizou o Congresso Internacional do Leite em parceria com a Embrapa, já custeou o treinamento de centenas de transportadores, veterinários e técnicos segundo as normas de boas práticas de produção e fabricação, e encaminha em 2016, em parceria com o Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP), um plano estratégico para a cadeia leiteira.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.